Vasco Andrade vence duelo de Gigantes

Press Realese by Antero Bessa on Abril 16, 2012

Campeonato Nacional Trial 4x4
Vasco Andrade vence duelo de Gigantes

De regresso ao habitual figurino que caracterizou e aliciou várias equipas do panorama nacional e espanhol ao CNTrial4x4, o Centro Popular de Recreio e Cultura do Bairro da freguesia de Abrigada – parceiros do Trilhos do Nordeste Clube TT proporcionou à dezena e meia de equipas do campeonato de trial uma excelente prova que prestigia a modalidade. Ao longo das três horas de resistência, pilotos e máquinas não regatearam esforços para vencer os obstáculos que o sopé da Serra do Montejunto oferece. Mesmo contando com a “birra” do S. Pedro que apenas cedeu na parte da tarde, esta jornada de Alenquer, que apresentou uma pista em tudo semelhante à do ano passado, ficou bem mais “macia” com a chuva que caiu no dia de Sábado e manhã de Domingo, facilitando em alguns aspectos o trabalho, essencialmente dos navegadores, num palco com magníficas condições para a prática da modalidade.
No final das três horas de resistência Vasco Andrade e Nuno Graça (Repsol TT reforçaram a candidatura ao título nacional com o triunfo na jornada de Alenquer. Uma vitória que premeia a eficácia do piloto da Lourinhã, face ao excelente andamento e experiencia evidenciada ao longo da prova isenta de erros e apenas “ofuscada” por um ameaçador barulho no veio de transmissão da Toyota Hilux que não passou disso mesmo. A incerteza quanto ao triunfo na jornada de Alenquer manteve-se até à bandeirada xadrez, à entrada para os derradeiros dez minutos, quatro equipas estavam em posição de chegar à vitória - rodando na mesma volta, com vantagem para a dupla da Repsol TT que beneficiava de alguma margem de manobrada que lhe confiava algum espaço para gerir a vantagem adquirida ao longo das 3horas de resistência. O piloto da Lourinhã estava radiante com o duplo triunfo conquistado em Alenquer: “Para além desta saborosa vitória que é sempre um orgulho grande, assumimos a liderança do campeonato. Foi uma prova brilhante com grande lealdade e muita competitividade, na presença de excelentes equipas, e numa pista fabulosa, parabéns à organização. Quanto à nossa prestação, foi uma prova conseguida, graças ao excelente trabalho de toda a equipa que esteve exemplar, desde o Nuno, aos mecânicos ao carro, tudo funcionou na perfeição. Apenas tivemos um contratempo com o veio da transmissão que fazia um barulho esquisito mas felizmente não passou disso mesmo. Vamos continuar a nossa luta, com vista a manter esta posição, cimentando desta forma a nossa candidatura ao título nacional que é o nosso principal objectivo para esta temporada”, afirmou no final desta segunda jornada do CNTrial4x4, Vasco Andrade. Se o destino do vencedor estava traçado, aparentemente justificado na forma controlada como a dada altura encarou a prova, os restantes lugares do pódio foi um autêntico «duelo» de guerreiros. À entrada para a última volta, três equipas passaram pela segunda posição: Team Serrão, Hortícolas Team e Paljet. No final, estas posições inverteram-se, acabando por ser a dupla Luís Jorge/Nuno Passos (Suzuki) a superiorizar-se a Jorge Silva e Miguel Rios (Patrol) que se descuidaram já nos metros finais, perdendo o lugar intermédio do pódio por escassos 12s, quando tudo fazia prever que o piloto portuense irá vencer a luta com o piloto lisboeta! Alexandre Lemos e Luís Araújo (Toyota) acabariam por cair para a quarta posição com mais 19s que o terceiro, muito por culpa de uma descoordenação dos elementos afectos à equipa numa altura em que os intercomunicadores dos capacetes do piloto e navegador não funcionavam. Três equipais que ofereceram um excelente espectáculo recheado de muita lealdade e competitividade, terminando ambas com o mesmo número de voltas (21), tal como o vencedor – a equipa RepsolTT, mas já distante desde trio, com uma margem superior a cinco minutos. Numa pista com excelentes condições para a prática da modalidade de trial, com constantes irregularidades do terreno, a proporcionar uma grande diversidade de obstáculos, predominantemente naturais, a gestão da prova e a preparação das viaturas – não necessitando de passar pelas boxes, foram factures determinantes no ritmo que cada equipa imprimiu ao longo das três horas de resistência, e que justificaram esta escassa diferença entre o segundo (Hortícolas) e o quarto (Team Serrão), de 31s apenas! Para Luís Jorge a segunda posição assentou ”essencialmente na fiabilidade do Suzuki Samurai que esteve impecável, na boa coordenação da equipa e, acima de tudo, na eficácia da prova do Vasco Andrade que esteve irrepreensível… Uma excelente campanha para o Trial Nacional!”, afirmou o piloto da Hortícolas Team, ao terminar na segunda posição, na frente da Paljet que em Alenquer realizou uma das melhores provas do CNTrial4x4 “estava na minha praia! Foi uma prova fantástica, sem problemas no carro e disputada ao segundo, numa resistência de três horas, é obra… e muito duro, mesmo a pista estando impecável, tal como eu gosto – rápida, técnica, muito completa”. Fora dos lugares do pódio e, quando tudo fazia prever que iria repetir o segundo lugar de Lousada, o Team Serrão descuidou-se e baixou a quarto da geral, numa prova em que apenas se pode queixar de “si próprio” ou da equipa para justificar este resultado que ainda assim lhe permite manter a segunda posição no campeonato, na companhia do Hortícolas. A dupla de Macedo de Cavaleiros esteve em bom nível competitivo, mesmo estando privados da utilização dos intercomunicadores desde a meia hora de prova, que obrigou o navegador a puxar pela “garganta”. O turbo “Kubota” faz milagres! José Alexandre, acompanhado por David Brito, estava radiante com a quinta posição, no final de uma das melhores actuações no CNTrial4x4, justificado pela “aplicação de um turbo dos tractores da marca que represento – Kubota… agora sim, terminei uma prova sem problemas mecânicos no Patrol” afirmou o piloto de Oliveira do Hospital que superou em uma volta a dupla “pai e filho”. Vasco Silva e Henrique Filipe (moveisvasco.com) não passaram ilesos a problemas, ficando privados da transmissão traseira do Freelander perto do final devido aos sticks do eixo que cederam e provocaram a quebra da transmissão. No regresso ao campeonato, Luís Santos (LM4), acompanhado pelo experiente piloto/navegador, Cláudio Carapeta, terminaram na sétima posição. Um resultado penalizado pelos problemas com os bloqueios do Patrol e, essencialmente com a caixa de velocidade, devido à ausência da segunda e quarta velocidade, terminando na frente de Paulo Candeias e Gerardo Sampaio. O piloto de Carrazeda de Ansiães tem tido um inicio de temporada madrasta. Depois dos contratempos em Lousada, Paulo Candeias voltou a passar por dificuldades com a mecânica do Wrangler, obrigando a uma longa paragem nas boxes (cerca de uma hora) para reparação do apoio do alternador que cedeu. Depois, foi dar tudo o que tenha e mais procurava, varrendo toda a pista na procura de recuperar alguns lugares perdidos. Uma posição que coloca em causa a luta pelo campeonato, na legítima candidatura à conquista do título nacional. Ainda dentro do lote dos dez mais, mais uma fornaça que tem por tradição marcar presença nas provas mais a sul – Churrasqueira Brasa Douro. A dupla Desiderio Pinhal/Ricardo Barreira, realizou uma prova calma e à feição do Defender (proto), passando por alguns contratempos com o tudo do radiador que se furou e a cruzeta da frente que se partiu a dez minutos do final, terminando na frente da Hanguer Team/BIU Internacional que se estriou na competição com um bem apresentado e competitivo Willis. Pedro Costa e Filipe Alves (Jipesecompanhia/Badinho), tal como em Lousada, voltaram a ter problemas mecânicos com a Nissan Navara que lhes condicionaram a procura de lugares mais cimeiro – justificado pelo andamento rápido e a facilidade de transpunham os obstáculos enquanto estavam em prova. A quebra da Transmissão e posterior brecha nos sticks, obrigaram a uma longa paragem nas boxes, não indo além da décima primeira posição. Vencedor da jornada inaugural, Vítor Ribeiro e Vitorino Morais (Fevinor) não passaram da décima segunda posição, tendo desistido ainda antes da primeira hora de prova com problemas na embraiagem da Navara. Problemas mecânicos também forçaram o abandono da equipa Revi Clap após a meia hora, com o encaixe do hidráulico junto à roda dianteira do Nissan Patrol partido. Sem completar uma única volta, a equipa Roger Auto ficou privada dos parafusos que fixam a barra de direcção da Toyota Hilux.
A próxima jornada do CNTrial4x4 levará a caravana a 20 de Maio até Santa Maria da Feira, para a realização da terceira ronda. Mais informações em: www.cntrial4x4.com

Taça Rock Crawler
EC 4x4 voltou a superiorizar-se

A experiencia e eficácia na condução do Crawler Chevry permitiram à EC4x4 conquistar o pleno na “Taça Rock Crawler”, com Emanuel Costa e Daniel Ribeiro a superarem com algum à vontade os restantes participantes. A exemplo da jornada de Lousada, apenas três viaturas manifestaram a vontade de aderir a esta competição. Ao contrário de Lousada e, em moldes diferentes, o piloto de Penafiel não sentiu dificuldades em se impor em ambas as etapas, Na primeira, composta por uma resistência de uma hora, completou nove voltas ao circuito, mais duas que o segundo classificado – Jipesecompanhia/Troqouro (Domingos Parente e João pinto) e mais cinco que a FRacing (Filipe Guimarães/Gerardo Sampaio), acusando problemas no Crawler JK que obrigaram a um regresso antecipado às boxes. O campeão nacional de trial em título não se fez rogado e repetiu o feito na segunda etapa – uma pista extreme, gastando menos 3s que Filipe Guimarães que superou Domingos Parente. Na classificação final, a EC4x4 somou 20 pontos, contra os 17 da Jipesecompanhia/Troqouro e FRacing.com, com vantagem para a formação de Gondomar por ter obtido a melhor classificação na etapa de resistência.

 

Classificação Final – CNTrial4x4
1º Repsol (Vasco Andrade/Nuno Graça/Toyota), 21 voltas
2º Hortícolas Team (Luís Jorge/Nuno Passos/Samurai), 21
3º Paljet (Jorge Silva/Miguel Rios/Nissan), 21
4º Team Serrão (Alexandre/Luís Araujo/Toyota), 21
5º Grupo JANF/Stand Kubota (José Alexandre/David Brito/Patrol), 17
6º Moveisvasco.com (Vasco Silva/Henrique Filipe/Freelander), 16
7º LM4/Tanqueluz (Luís Santos/Cláudio Carapeta/Patrol), 14
8º Standcandeias.com Paulo Candeias/Gerardo Sampaio/Wrangler), 13
9º Churrasqueira Brasa Douro (Desiderio Pinhal/Ricardo Barreira/Defender), 9
10º Hanger Team/BIU Internacional (Nelson Silva/Marco Rodrigues/Willis), 8
11º Jipesecompanhia/Badinho (Pedro Costa/Francisco Pereira/Nissan), 6
12º Fevinor (Vítor Ribeiro/Vitorino Morais/Nissan), 3
13º Ravi-Clap (Domingos Diniz/Vítor Seabra/Patrol), 2
14º Roger Auto (Roger Puyal/Humberto Reis/Toyota), DNF

Classificação Final – Taça Rock Crawler
1º EC 4x4 (Emanuel Costa/Daniel Ribeiro/Chevy)
2º Jipesecompanhia/Troqouro (Domingos Parente/João Pinto/Crawler)
3º FRacing4x4.com (Filipe Guimarães/Gerardo Sampaio/JK)

Classificação após 2 provas/CNTrial4x4
1º Repsol TT, 76 Pts; 2º Team Serrão, 72; 3º Hortícolas Team 72; 4º Paljet, 62; 5º Grupo JANF/Stand Kubota, 62; 6º Fevinor, 58; 7º Moveisvasco.com, 52; 8º Standcandeias.com, 50; 9º Jipesecompanhia/Badinho, 48; 10º Ravi-Clap, 36
Estão classificadas mais 6 equipas

Classificação após 2 provas/Taça Rock Crawler
1º EC 4x4, 40 pts
3º FRacing4x4.com, 35
2º Jipesecompanhia/Troqouro, 33

Calendário
Stª Maria Feira - 20 de Maio
Tábua - 23 de Setembro
Paredes - 28 de Outubro
Entrega de prémios - 2 de Dezembro

Gabinete de imprensa:
press@cntrial4x4.com / 925979225