Badinho vence perante 5 mil espectadores...

Press Realese by Antero Bessa on Julho 1, 2013

Campeonato Nacional Trial 4x4 - Moimenta da Beira
CNTrial 4x4 I Taça Rock Crawler I Promoção

Badinho vence em Leomil perante cinco mil…

A festa do trial 4x4 invadiu o concelho de Moimenta da Beira e fixou-se no Monte do Alto da Portela, na freguesia de Leomil. Uma romaria de adeptos, aficionados e forasteiros, contrariaram as tendências do verão, e trocaram as altas temperaturas - a proporcionar uma ida à praia, por uma jornada plena e emotiva de trial 4x4. Cinco mil pessoas não regatearam esforços e, não arredaram pé, até que a bandeirada de xadrez fosse elevada para consagrar o triunfo da equipa «Preparações Badinho 4x4».

Pedro Costa e Filipe Alves estrearam-se no lugar mais alto do pódio, tornando-se na terceira equipa diferente a vencer esta temporada, concluída que foi a terceira jornada do Campeonato Nacional de trial 4x4. A organização, a cargo da seção de Todo Terreno do Clube Desportivo de Leomil, esteve eximia na receção e hospitalidade evidenciada a todos os elementos das equipas presentes na prova do clube beirão, com um jantar de confraternização e estadia, a anteceder a vertente competitiva, reservada para o dia de domingo. O período da manhã foi reservado ao prólogo, para formação das grelhas de partida de cada classe. No CNTrial4x4, a Nissan Navara de Pedro Costa foi mais veloz e garantiu a «polé», na frente do Suzuki de Paulo Campos e do Jeep Proto de Ricardo Lourenço. Este foi apenas um prenúncio do que iria suceder ao longo das três horas de resistência, com este trio – ao qual se juntou o Samurai de Luís Jorge, a assumir as despesas da prova, com constantes alterações na liderança. Até que, à passagem da segunda hora, a «Preparações Badinho 4x4» embalou em definitivo rumo a uma vitória bem conseguida e trabalhada, beneficiando de uma estratégia que resultou em pleno, face à total fiabilidade da Navara que apenas cedeu pelo cabo do guincho - um acessório pouco utilizado nesta jornada de Leomil, tendo em conta a forma mais rolante como os obstáculos estavam escalonados.

Depois de quase se ter despedido ainda no período da manhã, a dupla Ricardo Lourenço/Paulo Lourenço acreditou que ainda era possível, bem apoiada pelo seu staff, de reparar a transmissão e a caixa de velocidades que tinha partido logo no arranque para o prólogo. Uma missão de sacrifício mas recompensada no final com a «Pizzaria Refugio» a chegar à segunda posição, terminando com, mais um furo contabilizado e «pendurado» pela bateria que falhou várias vezes. À passagem da segunda volta, a «Hortícolas Team» já se tinha instalado na liderança, mas não resistiu aos ataques sucessivos, primeiro de Paulo Campos e posteriormente de Pedro Costa, optando por fazer uma gestão mais cuidada - já depois de ter quebrado uma jante, quer da mecânica quer das elevadas temperaturas que chegaram a atingir 40º. A perfeita administração da prova permite a Luís Jorge manter a liderança do campeonato, agora em igualdade pontual (110) com Ricardo Lourenço. Separados apenas por uma volta, as duas formações de Bragança mantiveram uma acesa luta pela quarta posição que acabaria por ficar na posse da «SS Automóveis», que passou ilesa a qualquer problema mecânico. Ao invés, o seu conterrâneo – TabôTeam 4x4 (Flávio Gomes e Pedro Nascimento), que comandou por largos períodos o ataque à liderança, acabaria por ver a bomba de direção do Jeep Wrangler ceder à terceira volta, complicando a árdua tarefa de manter-se na luta pelo triunfo, perdendo o quarto posto a dez minutos do final, para a dupla Zé Rabal/Pedro Rodrigues. Discreta mas super eficaz, a dupla Miguel rios/To-zé Sousa, passou despercebido e quase se intrometia na luta pelo pódio, não fosse o turbo Nissan Navara acusar sintomas de fraquesa.

A «Padaria Flor de Ermesinde» acabou por garantir a sexta posição, na frente da «Disco Campos», com Paulo Campos e Vítor Rodrigues a perder o comando da prova após a primeira com a quebra das juntas homocinéticas do Suzuki Samurai. Numa luta serrada pela equipa que mais furou! A «Nordhigiene» começou por levar vantagem no prólogo com dois furos sucessivos, apenas igualada pelo «Team Serrrão». No entanto, António Calçada e Francisco Moura, viram o azar rondar a mecânica do Suzuki com a quebra da transmissão a meia hora do final, tempo ainda para conservar a oitava posição, já bem distante de qualquer forcing final dos adversários que os precedia, ficando estes a quadro voltas de perder mais posições. Neste pelotão, foi liderado pelo «Team Serrão», que venceu o duelo dos «furos» ao totalizar cinco…, ao longo da prova, terminando ainda sem suspensão traseira. Um golpe rude para as aspirações de Alexandre Lemos e José Silva que tinham chegado a Leomil com o objetivo de lutarem pela vitória. A «ReviClap» surgiu nesta terceira jornada com um novo carro, um Suzuki Jimmy, ainda em fase de «teste», acusando problemas de eletrónica que não permitiram à família Dinis, Domingos e Mikael, ir além do decimo lugar, na frente do regressado Guilherme Coelho, acompanhado por José Fernando. A dupla do «Patryota» que após mais de um ano de interregno não acusou falta de ritmo, apenas registou alguns problemas mecânicos, cubo roda partido e direção, que condicionaram chegar a lugares mais cimeiros. As duas derradeiras posições foram ocupadas pela «Churrasqueira Brasa d’Ouro» que esteve um largo período de tempo nas boxes a retificar problemas com a transmissão do Land Rover e a «Roger Auto», vencedora da jornada inaugural em Valongo a abandonar bem cedo quando ficou sem direção na Toyota Hilux.
Depois de Valongo, Lousada e Moimenta da Beira, a caravana do Campeonato Nacional de Trial 4x4 entra num período de dois meses de férias, regressando a 1 de Setembro à região transmontana, mais concretamente a Vimioso. A última ronda está marcada para 20 de Outubro na cidade de Paredes.

Taça Rock Crawler reduzida
Apenas duas equipas estiveram em confronto entre os «Crawler». Numa luta de vizinhos, o «TeamCarjaime/Troqouro» não teve grande oposição da «Paljet», que denotou grandes dificuldades em tirar a potência para o «chão» do seu Crawler.

Com este triunfo em Leomil, Domingos Parente e João Pinto passam a liderar destacados esta competição com 116 pontos, mais 40 que a «EC4x4» ausente nesta jornada, enquanto Jorge Silva e José Pires ascenderam à terceira posição por troca com a «FRacing».  

Promoção esteve bem animada
Foram mais de duas dezenas, as equipas que compareceram para formar grelha nas três classes denominadas de promoção. Nas três classes em competição, outros tantos vencedores diferentes das jornadas anteriores, numa clara demonstração da competitividade destas viaturas menos preparadas!

Entre as viaturas Suzuki Samurai, com carros mais próximos dos originais e sem grandes alterações, Floriano Maia e Rui Magina (Trava embraia) estriaram-se a vencer, deixando os restantes lugares ao rubro, com quatro equipas a terminarem com o mesmo número de voltas (9). No duelo do cronómetro, saiu ganhador o «Team Suzuki de Fafe» que teve a seu lado no pódio a «Auto Diesel/Offroadproject», com Pedro Oliveira e Sandro Magina a assumirem a liderança da competição. Terminaram ainda o «Team Auto Socorro» e o «Samurai 4x4 Extreme» na quinta posição.


Na Classe 1 que agrupa as viaturas com pneus até 35”, outra equipa a experimentar o lugar mais alto do pódio. Uma «batalha» ao segundo que durou até bem perto do baixar da bandeira xadrez, com a «Sópedra 4x4/Kaiser» a levar de vencido o líder da competição, a «Sucatas David Rocha» que detém agora apenas oito pontos de vantagem precisamente para Carlos Rosa. A emoção esteve com sucessivas trocas de líder com Renato Rocha e Sérgio Pereira a assumirem as despesas da primeira meia hora, sendo depois passados pela «Fernandes & Jacinto» à passagem da primeira hora. Mas, seria já bem perto do final que Carlos Rosa e Pedro Silva se impuseram e garantiram um triunfo arrancado a «ferros», num derradeiro duelo a dois – que terminou com o mesmo número de voltas (10), face ao atraso de João Fernandes e Vítor Sousa que caíram para a quinta posição, atrás de «Luís Soares Duarte Wines». O terceiro lugar foi ocupado pela «AutoSemancelhe», enquanto o «Produtor de Vinhos Luís Fonseca» terminou a sexta posição, na frente da «Fastlane». A «Auto José Fernando» não completou qualquer volta, face aos problemas mecânicos registados ainda no prólogo.


Na Classe 2, que agrupa os carros com pneumáticos 36 e 37”, manteve a sendo dos estreantes, com a «JiiPark» a chegar à vitória que bem perseguiu em Lousada. Uma prova muito renhida, com os três primeiros a terminar com o mesmo número de voltas (9). Á passagem da primeira hora de prova, Nelson Sousa e Tiago Santos destronaram da liderança os irmãos Caimeirão – Furões TT/Vimioso e não mais largaram a dianteira. A dupla transmontana, mais ambientada ao Land Rover, sentiu algumas dificuldades em gerir o aquecimento do Defender, optando por refrear os ânimos e defender-se dos sucessivos e ameaçadores ataques da «JMF». Motivados pelo triunfo de Lousada, Frederico Fernandes e António Azevedo tentaram tudo por tudo para ascender à liderança mas tiveram um revés nesta missão, quando a meia hora do final ficaram um tubo dos travões rebentou e o rendimento wrangler começou a fraquejar devido ao muito pó. A terceira posição da dupla de Famalicão garante-lhe assumir a liderança da competição. Bruno Teles e António Fonseca (LRT) terminaram na quarta posição com o mesmo número de voltas, ficando condicionados pelos problemas de suspensão do Defender. A estreia da dupla Hugo Terreiro/Rodrigo Sousa foi bastante positiva, ao levar o UMM inscrito pela «ARC Sport» à quinta posição com apenas 1 volta a menos do trio da frente, sendo um dos grandes animadores da prova. O «Rei da Palha», marcou a estreia no CNTrial4x4 com uma agradável prestação ao garantir a sexta posição, na frente da «dreamcar».         

 

Gabinete de imprensa
Fotos para uso editorial, solicitar através do email: 
press@cntrial4x4.com / 925979225