Jornada quente em Alenquer

Press Realese by Gabinete imprensa on Junho 12, 2014

Campeonato Nacional de Trial 4x4 2014
Jornada quente em Alenquer

Em temperatura e competitividade, a quarta jornada do Campeonato Nacional de Trial 4x4 foi mesmo muito quente. A localidade do Bairro, no concelho de Alenquer não recebia uma etapa do nacional desde 2012 e em 2014 regressou à competição em todo o seu esplendor. Já se sabe que o sopé da Serra do Montejunto oferece obstáculos naturais, mas enganou-se quem adivinhava um dia descansado para as equipas. Tal como nas provas anteriores o calor e o pó foram os ingredientes principais, mas juntaram-se ainda muitas avarias mecânicas e alguns “capotanços”. As equipas, como já é hábito, trouxeram para a pista muita raça e vontade de vencer, completando uma receita de sucesso para um grande dia de trial. 

Flávio Gomes regressa às vitórias
Já tinha ganho as provas de Santa Maria da Feira e Torres Vedras e em Alenquer voltou a repetir a proeza. O Jeep Wrangler de Flávio Gomes (TáBô Team 4x4) andou sempre na frente e foi o carro, de todas as categorias, que mais voltas deu à pista – 22 no total. 
Depois do ouro em Valongo, a prata de Alenquer assegura o título de “campeão de verão” a Domingos Diniz (Revi-clap). Nesta quarta jornada furou um pneu e queimou duas vezes o motor do guincho, depois bastou-lhe gerir o andamento até cruzar a meta. Terminou as três horas de resistência com 18 voltas, mais uma do que o segundo classificado.   
Pedro Alves (Monstter.pt) subiu pela primeira vez ao pódio nesta edição do CNTrial 4x4. O Land Rover Defender ainda andou na segunda posição, mas um problema com o guincho nos últimos minutos de prova valeram-lhe a queda para a último lugar do pódio. 

Luís Jorge vence pela primeira vez em 2014
Muitas surpresas na categoria XL. Em Alenquer, foi a vez do bicampeão nacional, Luís Jorge (Hortícolas Team), subir ao lugar mais alto do pódio. O Proto XS5 ainda teima em dar problemas, mas a determinação de Luís Jorge e Miguel Costa venceu a teimosia do novo carro. Logo na primeira volta um problema com o guincho obrigou a uma paragem de 20 minutos e a dupla pensou mesmo em desistir. Não só regressaram à pista, como aceleraram para a vitória. Recuperaram tanto terreno que terminaram a resistência com mais 6 voltas do que o segundo classificado.
Na segunda posição aparece Bruno Fernandes (JMF), que se estreou em Valongo com um terceiro lugar. Em  Alenquer andou muito tempo na frente, mas com quase duas horas de prova partiu o cubo, foi obrigado a visitar as boxes e perdeu a liderança. Ainda havia de voltar a sofrer com problemas mecânicos: a 20 minutos do fim ficou sem direção e, para si, a prova terminou por aí.
A completar o pódio Cláudio Carapeta (LM4 – Team Tanqueluz). O piloto arrancou muito bem, mas várias visitas às boxes fizeram-no perder mais de 30 minutos e condicionaram-lhe o andamento. 
Apesar dos muitos azares nesta prova, Rui Querido continua a ser o líder da geral da categoria XL, com 19 pontos de vantagem para Cláudio Carapeta que é o segundo classificado. 
Três consecutivas para Candeias
Já lá vão três vitórias consecutivas para Paulo Candeias (Stand Candeias). O piloto de Carrazeda de Ansiães soma e segue na categoria Super Proto e apesar de a pista de Alenquer não ser o seu estilo preferido, a vitória foi inequívoca. Partiu na frente e nem um “capotanço” logo na primeira volta o fez perder terreno.  Correu com algumas condicionantes no guincho, mas nada que trouxesse grandes problemas. A partir do meio da prova, pôde mesmo diminuir no andamento e gerir a liderança. Quando faltam apenas duas provas para terminar o campeonato, é líder, com larga vantagem, da categoria Super Proto.
A prata de Alenquer ficou para João Pinto (Team CarJaime/Troqouro). Desta vez trocou o lugar de navegador pelo volante e não se saiu nada mal. Problemas com os pneus e com o guincho fizeram-no cair para a quinta posição, mas sem entrar em exageros soube esperar pela sua vez. Terminou a 3 voltas do líder. 
José Gaspar, que já tinha marcado presença em Torres Vedras, voltou à competição e repetiu o terceiro lugar no pódio. Esperou pelo deslize da concorrência e quando chegou à quarta posição aumentou o ritmo. O pé no acelerador e mais um dia “limpo” em avarias mecânicas deram-lhe o bronze. 

Classe 1: a mais disputada do dia
A incerteza quanto ao triunfo na Classe 1 manteve-se até à bandeirada xadrez.  Com o final das duas horas de resistência a aproximar-se, três equipas estavam em posição de chegar à vitória, com vantagem para Luís Soares Duarte. O piloto de Vila Real acabou por vencer com as mesmas 12 voltas, mas menos 3 minutos e 27 segundos do que o segundo classificado. A luta foi ainda mais renhida para os outros dois lugares do pódio. Apenas 5 segundos deram a vantagem a Bruno Silva (Team BotaFumo) sobre António Silva (Canelas Pneus). 
Com uma luta cada vez mais renhida a cada etapa e com quatro provas cumpridas, Bruno Silva é líder da classificação geral da Classe 1.

Joel Sousa já ganhou o Troféu Suzuki
Alenquer coroou como vencedores do Troféu Suzuki Joel Sousa e Rui Magina. Tal como em Valongo a dupla voltou a não encontrar oponentes, mas ainda assim entraram em pista com vontade de ultrapassar os obstáculos e de dar espetáculo. Um problema com o semi-eixo fê-los parar com uma hora de prova decorrida e terminar mais cedo. 

Foram 26 as equipas presentes e cerca de três mil os espectadores que se deslocaram até à Serra do Montejunto. Uma excelente forma de nos despedirmos do CNTrial 4x4 por uns meses. É que a competição tem agora a habitual pausa para os meses de verão e só regressa em setembro, com a vila de Mação a estrear-se na receção a uma prova do CNTrial 4x4.

Calendário
Mação, 21 setembro
Paredes, 19 outubro
Entrega de prémio, 16 novembro

Gabinete de imprensa:
press@cntrial4x4.com / 919 435 809